Liderar Hábitos

11 de dezembro de 2015

Durante muitos anos convivi com o que, para mim, representou um verdadeiro mistério no que se refere aos hábitos. Por que uma pessoa faz uma coisa que sabe que não lhe e conveniente?

Talvez você conheça alguém que sistematicamente se esquece de fazer uma atividade importante para a empresa ou que poderia impulsionar sua carreira. Pode ser que alguém de sua equipe tenha o hábito de chegar atrasado em reuniões, deixa de oferecer e vender produtos de interesse da empresa, ou deixa de dar retorno a ligações de clientes internos e externos.

Além das consequências óbvias, como é o caso de um cancelamento de contrato e a perda de um cliente que passou a comprar de um concorrente, há o risco de perdas crônicas e gradativas de produtividade, rentabilidade ou faturamento, sem que tenham sido percebidas porque se manifestam em percentuais pequenos. Imagine uma empresa ficar 3 anos realizando um lucro 3% menor do que poderia. Isto seria o mesmo que perder o valor equivalente a 1 mês de faturamento no mesmo período.

Uma vez que o assunto é motivo frequente de queixas entre pessoas que lideram equipes, seguem algumas dicas para quem deseja liderar sua equipe a mudar de hábitos, ou deseja mudar seus próprios hábitos.

 

1. Seja realista

Nem sempre 21 dias bastam para formar um hábito. Dependendo do tipo de hábito que você deseja desenvolver, pode ser necessário muito mais do que isso. O mito dos 21 dias se consolidou por uma interpretação simplista das observações feitas pelo cirurgião plástico norteamericano Dr. Maxwell Maltz. Ele constatou que pacientes que tiveram membros amputados continuavam a sentir o membro amputado por cerca de 21 dias.

Em seu livro “Psycho-Cybernetics: A New Way to Get More Living out of Life” (traduzido para o português sob o título Liberte Sua Personalidade: Uma Nova Maneira de Dar Mais Vida à Sua Vida), ele diz que “leva-se no mínimo 21 dias para se aprender um novo hábito”.

Observe – no mínimo 21 dias e não apenas 21 dias.

2. Forme um hábito por vez.

A formação de um hábito já é suficientemente desafiadora. Tentar formar mais de um hábito por vez pode trazer frustração e, com isso, atrapalhar suas tentativas futuras. Faça uma lista e depois escolha aquela atividade que teria mais impacto positivo na vida de sua equipe, e pela qual valeria a pena o seu esforço.

3. Informe a si mesmo e a sua equipe

Segundo pesquisas feitas pelas universidades Columbia (EUA) e de Alberta (Canadá), a consciência sobre um hábito pode nos ajudar a superá-lo. 256 pessoas assistiram a uma apresentação sobre a importância da atividade física. Metade do grupo recebeu orientação extra sobre fatores ligados a seus hábitos. Esse grupo praticou duas vezes mais atividades físicas do que os demais.

4. Prepare sua equipe

Considerando as informações de que você dispõe, esteja preparado para os desafios que terá de enfrentar. Seu corpo e sua mente irão enviar muitas mensagens para que você desista. Organize-se. Mantenha seu material preparado para o momento de executar a atividade que você deseja transformar em hábito. Utilize recursos como o BomHábito.

5. Encaixe em sua agenda diária

Faça com que essas atividades caibam no dia-a-dia de sua equipe. Não importa o que deseja iniciar, é preciso tempo. Sem abrir mão de um espaço na agenda e o transformar em rotina, sua equipe vai acabar postergando o que ainda não faz parte de sua vida. Às vezes é preciso abrir mão do tempo dedicado a outra coisa.

6. “Emotize” sua escolha

Cerque sua nova atividade com algo mais, algo que lhe atribua certo grau de importância, algo que ative suas emoções. Talvez um pequeno “exagero” em torno da atividade para lhe atribuir ainda mais relevância. Nosso cérebro conclui que, se isso é “emocionante e exagerado”, então deve ser “importante”. Desta forma, aciona todos os recursos necessários à concretização do objetivo. Emocione a si mesmo e a sua equipe. As emoções avivam a memória, produzem bem-estar e dão força ao hábito. Mantenha sempre na mente de sua equipe a imagem de sua vitória e da diferença que fará em sua vida.

7. Utilize estímulo externo

Faça com que compartilhem seu objetivo, que divulguem em suas redes sociais, que peçam incentivo a seus familiares e amigos. Faça bom uso dos recursos do BomHábito.

8. Persista

O processo de formação do hábito, muitas vezes, é lento. Se não for possível executar a atividade planejada em determinado dia, estimule sua equipe a continuar no dia seguinte. Se houver suficiente estímulo, o hábito acaba por se fixar. O BomHábito possui um recurso que permite fazer uma estimativa do tempo necessário à formação do hábito que você deseja desenvolver.

9. Não faça comparações entre pessoas

Cada pessoa tem seu próprio padrão de evolução e terá uma evolução diferente. Procure comparar resultados atuais com resultados passados de uma mesma pessoa. O BomHábito oferece gráficos para seu acompanhamento.

10. Dê um passo a mais

É difícil medir, com certo grau de certeza, o quanto um hábito se fixou.

Aparentemente, a percepção de resultados é maior no começo do que no final. Mesmo que a certa altura você considere que o hábito de sua equipe já está formado, continue incentivando-os a praticar por mais algum tempo a fim de consolidar o novo padrão de comportamento.

11. Celebre

Cada etapa vencida merece ser comemorada. Afinal, trata-se da vitória sobre um grande e importante desafio. Esses momentos são excelentes oportunidades para “emotizar” e dar ainda mais relevância ao assunto.

12. Comece agora

Não se lamente por não ter começado antes, nem fique esperando chegar a segunda-feira ou o mês de janeiro. O melhor dia para começar é HOJE.

 

Otávio Luis Fontoura
Sócio Diretor da Accom – Hábitos Inteligentes


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *